Coleção de Arte da Cidade

A Coleção de Arte da Cidade (antiga Pinacoteca Municipal) foi criada oficialmente em 1961 com a finalidade de reunir, catalogar e expor as obras de artistas, nacionais e estrangeiros, pertencentes ao patrimônio do município de São Paulo. A partir de 1982, o acervo passou a ser gerido pelo Centro Cultural São Paulo. Atualmente, possui sob sua guarda cerca de 10 mil obras de diferentes períodos, técnicas e suportes, sendo 5 mil delas pertencentes ao conjunto de Arte Postal.

O núcleo de obras modernistas é o primeiro acervo público sistemático de arte moderna da cidade e importante testemunho da nossa história da arte. Teve origem na Seção de Arte da Biblioteca Mário de Andrade, e foi adquirido por Sérgio Milliet e Maria Eugênia Franco a partir de 1943, com o intuito de divulgação e consolidação do modernismo por meio de programa integrado de formação de acervo, exposições, debates e publicações, antecedendo a fundação dos Museus de Arte Moderna de São Paulo e do Rio de Janeiro. 

Como principais artistas do acervo podemos mencionar nomes como Frans Post, Rugendas, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Flávio de Carvalho, Joan Miró, Pierre-Auguste Renoir, León Ferrari, Regina Silveira, Julio Plaza, Carmela Gross, Fernando Lemos, Guto Lacaz, Rosana Paulino, Laura Vinci, Nuno Ramos, Caio Reisewitz, Alex Cerveny, Alexandre Alves, Denilson Baniwa, Renata Felinto, Rommulo Vieira Conceição, Helô Sanvoy, entre outros.

Arquivo Multimeios

O Arquivo Multimeios abriga em seu acervo cerca de 900 mil documentos – registros visuais, audiovisuais e documentos escritos – referentes a diversas manifestações da arte e da cultura brasileira contemporânea, tais como: arquitetura, artes cênicas (circo, dança, teatro), artes gráficas, artes plásticas, cinema, comunicação de massa (publicidade, imprensa, rádio e TV), fotografia, literatura e música.

Coleção de Arte Postal

A Coleção de Arte Postal, que integra a Coleção de Arte da Cidade, é composta por aproximadamente 5.000 obras e documentos e pode ser considerada uma das maiores do tipo em uma instituição pública do Brasil. Foi formada com o material exposto no Núcleo I da XVI Bienal de São Paulo de 1981, doado ao CCSP pela Fundação Bienal de São Paulo (FBSP) por intermédio de Walter Zanini em 1984. Esta doação abriu caminho para o recebimento de outras, como do material da exposição Multimedia Internacional, realizada em 1979, na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA USP), doado também em 1984. Destaca-se, ainda, o material proveniente das exposições Brutigre e Como você limpa a sua boca?, idealizadas por Maurício Villaça e Ozéas Duarte, respectivamente, realizadas em 1986 pelo Escritório de Arte Postal, localizado no próprio CCSP. Além dos conjuntos provenientes de exposições, compõem o acervo de Arte Postal algumas coleções formadas por doações de artistas, como é o caso de Hudinilson Jr., doada em 2004, e Ozéas Duarte, em 2010. Ao longo de seu funcionamento, o Escritório de Arte Postal do CCSP assimilou também envios espontâneos de arte postal, realizados por diversos artistas, trabalhos que acabaram formando uma outra coleção.

Dessas coleções, apenas a da XVI Bienal de São Paulo está disponível nesta base de dados, as outras se encontram em processo de catalogação.

Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade

A Missão foi idealizada e organizada em 1930 por Mário de Andrade, poeta, historiador e folclorista que era então Chefe do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo. Nesse período, uma equipe especializada percorreu as regiões Norte e Nordeste do Brasil com o objetivo de registrar suas manifestações culturais e folclóricas. O acervo reunido consiste numa grande diversidade de instrumentos musicais, objetos de culto, peças utilitárias, fotos, reproduções de desenhos, gravações musicais e filmes que são hoje mantidos e conservados pelo Centro Cultural São Paulo.